Digimax Medicina Diagnóstica

Pesquise notícias do nosso site

Filtre as notícias por categoria

Como prevenir o câncer de mama?

A campanha Outubro Rosa é um movimento internacional de conscientização para o câncer de mama, contribuindo para a prevenção e o diagnóstico precoce. Através do compartilhamento de informações é possível proporcionar acesso ao diagnóstico e ao tratamento da doença.


Conforme o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o câncer de mama é o mais comum entre as mulheres no Brasil, atrás apenas do câncer de pele. Só em 2020 são estimados 66.280 mil novos casos da doença.


Mas, como prevenir?

De acordo com o INCA cerca de 30% dos casos de câncer de mama podem ser evitados com a adoção de hábitos saudáveis, como:


- Praticar atividades físicas: elas devem fazer parte do dia a a dia, como caminhar, andar de bicicleta, dançar, musculação, etc.. Essa prática promove o equilíbrio dos níveis de hormônios, reduz o tempo de trânsito gastrointestinal, fortalece as defesas do corpo e ajuda a manter o peso corporal adequado.


- Alimentação de forma saudável: frutas, legumes, verduras, cereais integrais, feijões e outras leguminosas podem prevenir novos casos de câncer. O indicado é comer de três em três horas, em quantidades pequenas.


- Manter o peso corporal adequado: conforme o INCA, sobrepeso, obesidade e o ganho de peso na fase adulta estão associados a cânceres no esôfago (adenocarcinoma), estômago (cárdia), pâncreas, vesícula biliar, fígado, intestino (cólon e reto), rins, mama (mulheres na pós-menopausa), ovário, endométrio (corpo do útero), meningioma, tireoide, mieloma múltiplo e possivelmente próstata (avançado), mama (homens) e linfoma difuso de grandes células B. Uma alimentação saudável combinada com atividade física ajuda a controlar o peso corporal.


- Evitar o consumo de bebidas alcoólicas: o consumo de bebidas alcoólicas aumenta o risco de desenvolver diferentes tipos de câncer.


- Amamentar: essa ação protege as mães do câncer de mama e os bebês do sobrepeso e da obesidade.


- Evitar o uso de hormônios sintéticos, como anticoncepcionais e terapias de reposição hormonal.


- Autoexame: é importante que a mulher observe e palpe suas mamas sempre que se sentir confortável, pode ser no banho, no momento da troca de roupa, valorizando a descoberta casual de pequenas alterações mamárias suspeitas.


Informações extraídas do Inca e Sociedade Brasileira de Mastologia.


  • Compartilhar